quinta-feira, 27 de setembro de 2012

As dificuldades do homem para se viver a castidade


Viver a castidade é uma batalha para ambos os sexos, mas homem e mulher têm certos aspectos diferentes quanto a sua sexualidade, fazendo com que cada um tenha algumas dificuldades mais específicas, o presente texto discorre sobre algumas dificuldades típicas do homem e tenta com isso servir como base de alerta para os perigos e também para alavancar o animo nessa jornada.

É sabido que o homem é atraído pelo olhar mais facilmente que a mulher, fazendo que seja um grande motivo de queda, por isso este é o assunto mais falado quando tange as dificuldades do homem que quer viver a castidade, e é sim uma grande dificuldade mesmo, mas neste texto falaremos disso num segundo momento, em primeiro plano colocaremos algo que é pouco falado, mas que muitos – senão todos – já viveram e irão se identificar com as situações, mas no fim veremos que esta situação apesar de dificultosa serve como sinal de que estamos no caminho certo.

A situação é a seguinte, o incentivo nos fortalece e a crítica nos abate se nós não a sabermos contorná-la, o homem que tenta viver a castidade sempre será criticado, - pela frente ou pelas costas – de antiquado, retrógrado e tal, mas ele sofre uma coisa a mais, a título de comparação, quando uma mulher se esforça por viver as virtudes da castidade, do pudor e da modéstia ela é chamada de retrógrada, careta e coisas afins. O homem, quando tenta viver essas virtudes, além de ser chamado das mesmas coisas ainda recebe os adjetivos de fresco, afeminado, gay, etc.

 E também o contrário, quando ele diz que as mulheres deveriam se vestir mais decentemente, quando cobra que elas deveriam se preocupar com os detalhes, -(leia sobre neste link) - para não se vestirem indecentemente é até chamado de tarado, pois a resposta é quase sempre essa: "Não tem nada demais nisso, você é que está com o "olhar sujo" e vendo coisa onde não tem".

Repare como são dois ataques de lados opostos para uma mesma atitude, a atitude se batalhar pela castidade, é complicado lidar com esses ataques, mas daí poderemos tirar uma boa lição que nos dará força. O escritor G.K. Chesterton diz no seu livro “Ortodoxia” que um dos motivos que o fez se converter ao Cristianismo foi perceber que os cristãos eram criticados por grupos diferentes de tomarem atitudes opostas, por um lado eram acusados de pacifistas, por outro acusados de guerreiros sanguinários, sendo que os cristãos sempre tomaram as mesmas atitudes. Chesterton reparou que o problema não estava com o Cristianismo, mas sim com aqueles que opinavam sobre o Cristianismo, eram eles que estavam com a visão torta, pois se os cristãos sempre tomavam as mesmas atitudes, ou seja, sempre foram cristãos, então não podiam ser ao mesmo tempo coisas completamente opostas

Assim também podemos fazer a comparação neste caso sobre a castidade, se um homem está tomando certas atitudes para viver a castidade e é acusado de fresco por uns e de tarado por outros, é sinal de que o problema não está com ele, mas sim com o observador. 

Sempre seremos fracos e por causa do pecado original temos a tendência a buscar o que é mais fácil, mas quando entramos nessa batalha incomodamos os preguiçosos que não querem batalhar, são os que ainda abraçam o mundo e nos acusam de frescos e os que se mascaram de cristãos mas ainda são do mundo, estes são os que dizem que “estamos vendo coisa demais” quando fazemos certos alertas. Mas as críticas não importam, se lutamos por Nosso Senhor e incomodamos é sinal de que estamos no caminho certo.

"As zombarias e chalaças de teus companheiros imundos compreendem-se muito bem. A tua presença é molesta aos que se esponjam no esterquilínio. E como olham esses salafrários com tanta raiva para quem não quer deitar-se junto com eles no muladar! A rã, ainda que esteja sentada num tronco, salta sempre para o charco, pois só ali é que se sente à vontade. Talvez conheças esta velha máxima: Sunt, a quibus vituperari laudari est: há certas censuras que para nós são o maior louvor. E podes crer que, se o asno injuria a rosa, é porque esta não usa ferraduras. "[1]

Passando ao segundo assunto, sobre o olhar, acho que não há palavras melhores que estas para explicar: "Por toda a parte - pessoas na rua, outdoors, espetáculos, jornais, revistas, livros, moda feminina, Internet - há uma agressão contínua à castidade, uma estimulação artificial e massiva da fisiologia, da simples genitalidade, sem o menor contexto de grandeza e amor."[2]

Se disséssemos que cada tentação ao olhar é como se fosse um tiro, diríamos que o dia-a-dia é um verdadeiro fuzilamento. Ingênua ou maliciosamente 99% das mulheres se vestem de forma indecorosa, ingenuidade das que acham que homens vêem beleza na sensualidade e se vestem assim para tentarem parecer belas, mas a sensualidade esconde a beleza, se por um lado o homem é muito atraído pelo olhar por outro ele tem muito aguçada a capacidade de perceber o caráter feminino pelo modo que ela se porta, pelos gestos, modo de falar e principalmente pelo modo de se vestir, todas merecem respeito, mas se querem ser respeitadas, demonstrem isso, não se pode querer um cavalheiro ao lado quando não se porta como uma dama. 
Se foram ensinadas erradamente sobre o que é verdadeira beleza é outra história, mas elas estão servindo para a queda na tentação do olhar para muitos homens, e infelizmente muitas vezes em ambientes de igreja.

“A mulher é, de um modo muito particular, a guardiã da pureza, e no mundo no qual vivemos, o mundo das perversões e desastres sexuais, talvez possamos dizer que isso ocorre porque as mulheres falharam em sua missão em defesa da pureza.” [3]

Ainda tem as que se vestem assim por malícia, estas são como demônios que usam de sua beleza para servir a Lúcifer, não é exagero dizer isto, leia o capítulo 25 do Livro de Eclesiástico para confirmar, pois toda obra infernal é assim, usar de um dom de Deus para a maldição de outros, sabendo que aquilo está errado usam o dom da beleza para seduzir para pecados contra a castidade. A Onisciência Divina que tudo sabe julgará se a atitude foi de cada uma foi por ingenuidade ou malicia, o que não tira o grau de culpatibilidade que cada situação tem.

Para completar, creio que estas sejam as duas grandes dificuldades na questão sobre a luta pela castidade, pois todas estão ligadas de um certo modo a estas, primeiro o olhar, pois ele estimula a imaginação, a memória e os outros sentidos do corpo, segundo, as criticas infundadas, que por muitas vezes nos abatem durante a jornada. Mas nos dois casos devemos saber que primeiramente devemos ir a Deus, devemos vigiar, mas antes orar, contar com a intercessão da Virgem Santíssima, Mãe Castíssima, e do Glorioso São José, exemplo de castidade para os homens. Que Eles nos guardem e nos protejam das tentações do olhar e façam que saiamos ainda mais reforçados quando vierem as criticas, pois como foi dito acima, quando lutamos pelo Reino de Deus e somos criticados, é sinal de que estamos no caminho certo.

Tiago Martins

[1] Dom Tihamér Tóth - Fonte: Aqui
[2] Adaptacão de trechos do livro de Pe. Francisco Faus: Autodomínio. Elogio da temperança  Fonte: Aqui
[3] Alice von Hildebrand – Fonte: Aqui

Leia mais sobre o assunto nestes links abaixo:

Um comentário:

  1. Blogueiros católicos e povo fiel, por favor divlugem o vídeo do Padre Luiz Carlos Lodi da Cruz:

    http://www.youtube.com/watch?v=2rREUfWwfXw&feature=player_embedded

    Na Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

    Henrique Sebastiao
    Blog Voz da Igreja

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...