segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Bem lá no fundo elas só queriam se casar...

Bem lá no fundo elas só queriam se casar... Todo homem nasce para ser pai, toda mulher nasce para ser mãe. Uns são chamados a serem somente pais espirituais sendo na vida sacerdotal ou religiosa, outros além espirituais são chamados a serem pais biológicos através do sacramento do matrimônio, e é sobre o segundo caso que falaremos aqui.

Isso é algo que está no coração de cada um, um desejo compreensível e inexplicável ao mesmo tempo de encontrar um companheiro para dividir a própria vida, de alguém que complete o que em nós falta e a quem também podemos completar. No fundo, é um desejo de encontrar a Deus pois só Ele pode nos saciar, e só é sadia toda relação daqueles que entendem isso, que um deve ser instrumento de Deus na vida do outro.

Vivemos numa sociedade onde por todos os lados os ímpios tentam esfacelar esses valores taxando-os como retrógrados e antiquados, mas, o que eles não percebem - ou não querem perceber - é que esses são valores perenes, a sede por Deus e por fazer aquilo que é certo está cravada na alma de cada um, lutar contra esses valores é pisar na própria consciência.

Dizem acertadamente que o olhar é a janela da alma, e como as mulheres são mais sensíveis conseguem transparecer melhor seu interior através desse olhar. Vê-se nos olhares de muitas os estilhaços dessa batalha, de um lado o seu interior buscando coisas sublimes, de outro o mundo com suas seduções, umas se entregaram a derrota,outras andam com um pé em cada mundo, ambas com olhos maliciosos. Mas há um outro tipo em que vemos a mulher forte, são olhos carentes, esperando por algo, esperando por alguém, mas não há sinais de desistência no brilho desse olhar, percebe-se que elas sabem que mesmo com dificuldades há algo nobre a se buscar, algo que vem do seu interior, bem lá no fundo, elas só queriam se casar.

Querem se casar pois sabem que será dentro do sacramento do matrimônio que irão se realizar, por mais que tenham sido erradamente educadas por contra-valores a sua natureza própria chama mais alto, sabe primeiramente que é ao lado de um homem que se sentirá amparada e norteada, toda mulher tem dentro de si uma princesa presa na torre de um castelo precisando ser resgatada por um cavaleiro armado, ele é quem vai matar o dragão que a impedia de chegar a certos lugares que ela não teria condições de ir sozinha. Todo homem também tem dentro de si esse cavaleiro, mas em muitas vezes é preciso que a mulher se abra a querer receber essa ajuda, quando ela se fecha no egoísmo e quer se tornar "independente" corre o risco de passar a vida toda na solidão de sua torre.

"Amar é não albergar senão um pensamento: viver para a pessoa amada, não se pertencer a si mesmo, estar submetido, venturosa e livremente, com a alma e o coração, a uma vontade alheia - e ao mesmo tempo própria." [1]

Querem se casar também pois é ali dentro da união entre os dois que nascerão os filhos, e é nessa nobre função de esposa e mãe que  será o cume de sua realização, o cuidar é próprio do amor, marido e esposa cuidam um dos outros e de seus filhos no matrimônio, mas o cuidar materno é algo especial, tanto é que Deus quis ter uma Mãe pra cuidar Dele aqui na Terra. 

A sociedade quase obriga as mulheres a trabalharem fora hoje em dia, mas se repararmos bem essa obrigação está mais ligada a imposição de uma espécie de "status feminista" do que a busca de um bem em si, uma prova disso é que se perguntarmos a qualquer mulher em sã consciência se ela se sente mais realizada e feliz quando está trabalhando fora ou cuidando dos filhos, do marido e da casa, com certeza a resposta será a segunda opção. Se o bem maior está no cuidar da família em sua parte "interna" é dever de todo casal fazer o máximo de esforço possível para que a mulher possa ter condições de trabalhar somente em casa. 

Não entendo mulheres casadas que dizem "quero ser independente do meu marido", no casamento os dois dependerão um do outro, quem diz uma afirmativa dessa não está pronta para se casar. Quando ela não fecha-se no egoísmo e percebe a sublimidade da missão materna não se importa em fazer sacrificíos pois sabe que é ali naquele ambiente que será feliz, e não uma felicidade qualquer, será aquela que só tem aqueles que se abriram a vontade de Deus.

Esses olhos são carentes, mas não são mortos, nunca desistirão. A felicidade está onde Deus as quer, está onde podem se doar, está em ser esposas e mães. Bem lá no fundo, elas só queriam se casar pois sabem onde serão felizes. E nós homens queremos nos casar com essas mulheres fortes.

"Deus vos chama a respeitar-vos também no namoro e no noivado, pois a vida conjugal que, por disposição divina, está destinada aos casados é somente fonte de felicidade e de paz na medida em que souberdes fazer da castidade, dentro e fora do matrimônio, um baluarte das vossas esperanças futuras." [2]

Jesus, Maria e José, protegei-nos no combate.

Tiago Martins

[1] São Josemaria Escrivá
[2] Papa Bento XVI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...